Novas condições do Minha Casa Minha Vida a partir de 7 de julho

Categorias

A Caixa Econômica Federal começará a oferecer o financiamento do Programa Minha Casa Minha Vida com as novas condições a partir de 7 de julho.

O Ministério das Cidades regulamentou as novas regras na última sexta-feira (30), e as medidas serão implementadas até o dia 17 de julho.

O programa habitacional Minha Casa, Minha Vida tem novas regras, com o objetivo de facilitar o acesso à moradia para famílias de baixa renda.

Daniel Sucupira avalia a importância da volta do programa esse ano. “Trata-se de um grande avanço do governo federal para ajudar famílias de baixa renda a conquistarem o sonho da casa própria.” A meta é que 2 milhões de moradias sejam entregues até 2026, com melhor infraestrutura e localização.

CONDIÇÕES

Para se enquadrar no programa, as famílias devem ter uma renda mensal de até R$ 8.000 em áreas urbanas e renda anual de até R$ 96 mil em áreas rurais.

As faixas de renda do programa foram atualizadas, sendo divididas da seguinte forma para áreas urbanas:

Faixa 1: renda mensal de até R$ 2.640;

Faixa 2: renda mensal de R$ 2.640,01 a R$ 4.400;

Faixa 3: renda mensal de R$ 4.400,01 a R$ 8.000.

Áreas rurais:

Faixa 1: renda anual de até R$ 31.680;

Faixa 2: renda anual de R$ 31.608,01 a R$ 52.800;

Faixa 3: renda anual de R$ 52.800,01 a R$ 96.000.

Veja as regras de acordo com as faixas e quais os subsídios:

No novo desenho do Minha Casa, Minha Vida os imóveis disponíveis variam de acordo com a faixa de renda.

Para famílias das faixas 1 e 2, o valor do imóvel pode variar entre R$ 190 mil e R$ 264 mil, dependendo da localidade.

Já para beneficiários da Faixa 3, o valor máximo do imóvel é de R$ 350 mil.

O programa oferece subsídios para as famílias de baixa renda, e o valor varia de acordo com a faixa.

Famílias da faixa 1 podem receber subsídios de até R$ 170 mil para áreas urbanas e R$ 75 mil para áreas rurais. Já as famílias das faixas 1 e 2 têm direito a um subsídio de até R$ 55 mil para a entrada do imóvel.

As taxas de juros também variam de acordo com a renda e a região de moradia. Elas vão de 4% ao ano a 8,16% ao ano, sendo que os cotistas do FGTS têm direito a taxas menores.

As famílias que se enquadram na Faixa 1 devem se inscrever na prefeitura de sua cidade para concorrer às unidades subsidiadas. Já as famílias das faixas 2 e 3 podem procurar diretamente as incorporadoras com imóveis do programa para fazer a simulação do financiamento.

PRIORIDADE

O programa também oferece prioridade para algumas famílias, como aquelas de pessoas em situação de rua, com mulheres responsáveis, pessoas com deficiência, idosos, crianças e adolescentes, além das que estão em situação de risco e vulnerabilidade, em emergência ou calamidade, ou em deslocamento involuntário causado por obras públicas federais.

Frente Mineira de Prefeitos

Post de autoria da entidade acima, que responde pelo inteiro teor desse conteúdo.

Deixe um comentário